medicina centrada na pessoa

Afinal, como a medicina centrada na pessoa pode ser aplicada?

A medicina está em constante transformação. Além de pesquisas para cura de doenças, atualizações, inovações tecnológicas, também há uma busca por metodologias que tenham como objetivo tornar o atendimento mais humanizado e criar uma relação próxima com os pacientes. A medicina centrada na pessoa é uma dessas formas de tentar estabelecer uma maior conexão com o paciente.

Ainda não conhece essa modalidade de atendimento? Leia o artigo até o final e saiba o que é esse tipo de medicina e quais vantagens ele pode trazer para sua clínica!

O que é medicina centrada na pessoa?

A medicina centrada na pessoa parte da abordagem proposta pelo psicólogo e pioneiro na pesquisa científica em psicoterapia no século XX, Carl Rogers (1902-1987). Renomado na área, Rogers focava seus estudos nas relações interpessoais.

A abordagem centrada na pessoa tem como pressuposto fundamental a existência, em todas as pessoas, de uma tendência inerente para o crescimento, para o desenvolvimento e para as atualização das potencialidades com um objetivo que seja positivo e construtivo.

Ou seja, todo ser humano dispõe dos recursos necessários para o desenvolvimento do autoconhecimento e do autoentendimento, mudando convicções e comportamentos a partir da interação com outra pessoa que transmita confiança, autenticidade, empatia e aceitação de suas condições.

Para desenvolver esse método de atendimento é preciso desenvolver três características:

  • congruência: significa que a pessoa tem uma integração com sua experiência real dentro de sua autoconsciência. O indivíduo alcança esse estágio quando ele é livre para acreditar nele mesmo, vivenciando suas emoções e sentimentos;
  • consideração positiva incondicional: quando não colocamos condições para aceitar ou apreciar o outro. Essa atitude implica cuidado e não posse, levando em conta o outro, que tem seus próprios sentimentos e experiências.
  • compreensão empática: quando nos colocamos no lugar do outro a partir de seu conjunto de referências e competências emocionais, procurando entender sua dor sem proferir julgamentos.

Vantagens da adesão desse método

Por se tratar em uma abordagem diferente, mais humanizada, a medicina centrada na pessoa oferece algumas vantagens tanto para o profissional da saúde, quanto para o paciente. Confira quais são a seguir!

Melhora no relacionamento entre médico e paciente

Como vimos, esse método parte do princípio de que é preciso conhecer o outro e respeitar suas individualidades. Essa abordagem pode ser benéfica pois, ao levar em consideração as experiências do paciente, você pode melhorar sua forma de se relacionar com ele e evitar erros comuns.

Melhora na adesão do paciente ao tratamento

A partir da melhora do relacionamento com seu paciente, será estabelecida uma maior confiança dele em relação ao tratamento proposto. Isso é importante pois, quando a pessoa acredita no procedimento, ela fica mais aberta e disposta a se dedicar e a buscar o melhor para si.

Agrega valor ao atendimento e ao profissional

Por fim, pense que você estará oferecendo um serviço diferenciado e ainda pouco explorado no campo da medicina. Dessa forma, o paciente verá você como alguém em quem ele pode confiar. Essa situação acaba agregando valor ao atendimento e a você, enquanto profissional.

Agora que você já sabe como funciona a medicina centrada na pessoa e como ela pode fazer você se destacar em sua vida profissional, que tal colocar em prática?

Se você quer saber como melhorar o relacionamento com os pacientes, confira essas 8 dicas para aplicar em sua clínica!

Responder

*

Next Article8 dicas essenciais para o cadastro de pacientes na sua clínica médica