telemedicina

Afinal, você sabe o que é telemedicina?

Os serviços remotos — ou serviços à distância — vêm crescendo exponencialmente nos últimos anos. Hoje em dia, as pessoas estudam, fazem compras, pagam contas e muito mais, por meio da internet em seus computadores ou smartphones.

Nesse cenário, a área de saúde também vem aumentando a disponibilização desse tipo de serviço, por meio da incorporação da telemedicina. Mas, afinal, você sabe o que é telemedicina e qual é sua importância para a área médica?

Neste post, explicaremos com detalhes como funciona a telemedicina, quais são suas vantagens e como ela está se tornando cada vez mais indispensável na rotina dos médicos e profissionais de saúde. Continue lendo e confira!

O que é a telemedicina?

A telemedicina é definida, de forma geral, como a prática da medicina à distância. Assim, ela utiliza as tecnologias de informação e comunicação para promover o cuidado com a saúde, em geral.

Já o Conselho Federal de Medicina define a telemedicina como o exercício da medicina por meio da utilização de metodologias interativas de comunicação e de dados.

Nesse sentido, a telemedicina pode ser utilizada para triagem de pacientes, comunicação entre médico e paciente, diagnósticos a distância, aulas online, e muito mais. Em vários casos, ela dispensa até a necessidade do encontro físico entre médico e paciente.

Como ela funciona?

Basicamente, existem 3 principais áreas da telemedicina: educação, assistência e emissão de laudos. Vejamos, agora, cada uma delas:

1. Educação

A utilização da telemedicina para o ensino na área médica traz muitas vantagens. Principalmente para os estudantes de áreas afastadas dos grandes centros, que, nem sempre, têm grandes oportunidades de aprendizado.

A comunicação eletrônica proporciona a participação ativa e a interação entre profissionais de diferentes instituições e serviços, o que amplia as possibilidades de troca e construção de conhecimento.

Quanto a isso, podem ser compartilhados informações de prontuários e exames de imagem, e acompanhados procedimentos no momento da sua execução.

2. Assistência

A teleassistência inclui diversos serviços médicos prestados durante a assistência ao paciente. Ela é utilizada quando o médico se comunica ou monitora o paciente a distância, por meio da comunicação direta ou do uso de softwares.

A telemedicina pode ser utilizada também para a consulta de segunda opinião com médicos de outras localidades, até mesmo para a realização de uma cirurgia a distância.

Outro exemplo é a teleconsulta, na qual o paciente se consulta à distância, por meio de câmeras e microfones. Assim, ela é de grande importância, por exemplo, nas emergências que não possuem médicos de certas especialidades.

3. Emissão de laudos

A emissão de laudos à distância é a área da telemedicina mais utilizada no país. Por meio dela, é possível enviar exames de imagem, eletrocardiogramas, eletroencefalogramas — entre outros — a médicos especialistas, que emitem e enviam o laudo para o local de origem do exame.

Podem ser utilizadas também fotos de sinais dermatológicos ou lesões para que sejam avaliadas.

No entanto, para que todas as áreas da telemedicina sejam exploradas pelos profissionais, é preciso que eles adaptem seus consultórios e clínicas a essas tecnologias. O que pode ser feito por meio do uso de equipamentos e softwares médicos.

Quais são suas vantagens?

1. Redução do tempo e do custo

O uso das tecnologias na área médica ajuda significativamente na redução no tempo da trajetória do paciente (consulta, exames, diagnóstico e tratamento) e dos custos para o paciente e para o profissional médico.

O tempo é reduzido, pois o médico pode pegar segundas opiniões mesmo durante a consulta, por exemplo, e laudos de exames mais rapidamente, sem depender da presença do especialista. Já o custo é diminuído pois diminui também a necessidade de transporte do paciente e da presença de mais especialistas nos consultórios.

2. Acesso facilitado a especialistas

Essa é a maior vantagem para os médicos e pacientes moradores de pequenas cidades, longe dos grandes centros.

A telemedicina aproxima o médico e o paciente. Garantindo consultas e saúde onde for necessário

Antigamente, muitos pacientes tinham que viajar até as capitais para conseguir consultas ou exames com especialistas. Mas, hoje, a telemedicina permite que o médico envie toda a avaliação e exames necessários para que ele avalie o caso.

3. Maior resolubilidade

A troca de informações a distância pelos médicos e outros profissionais de saúde aumenta a resolubilidade em saúde. Isso ocorre pois, muitas vezes, o paciente não dá continuidade a sua assistência quando é encaminhado a especialistas.

Consideremos este exemplo: um paciente com problema cardíaco se consulta com seu cardiologista de rotina, que, por acaso, encontra um sinal dermatológico sugestivo de câncer de pele. Nesse caso, em vez de ter que ir ao dermatologista, o médico já lhe envia a imagem e espera o laudo.

4. Compartilhamento da informação em saúde

Como já citamos, a telemedicina pode ser utilizada para a educação em saúde. Dessa forma, as informações e conhecimentos são divulgados mais fácil e rapidamente, permitindo uma melhora no cuidado em saúde em todas as regiões.

5. Registro digital

A utilização da telemedicina em consultórios ou hospitais possui ainda uma vantagem de gestão. Isso porque, quando as consultas, os exames e seus resultados são armazenados online — para serem enviados ou consultados posteriormente — há uma melhora no registro das atividades.

O registro digital garante a segurança, mais do que arquivos e atendimentos realizados em papel

Esse registro digital pode ser usado para estimar a quantidade de procedimentos realizados, por exemplo, ou o controle financeiro, entre outros.

Como está a telemedicina no Brasil?

No mundo, a telemedicina surgiu e começou a ser discutida nos anos 60; no Brasil, os primeiros projetos na área surgiram a partir da década de 90. De fato, ela demorou para surgir no país, mas vem crescendo e se consolidando nos últimos anos, principalmente no que diz respeito ao telediagnóstico e à emissão de laudos à distância.

Hoje, a telemedicina é regulamentada no Brasil pelo CFM. E as áreas que mais a incorporaram no país são a área acadêmica, com o aumento de pesquisas na área, e o setor médico-hospitalar privado, espelhando-se em entidades financeiras.

O Brasil, inclusive, é considerado um país de muitas oportunidades para o desenvolvimento e aplicação da telemedicina, pois possui:

  • grande extensão territorial, com muitos locais isolados e de difícil acesso;
  • potente rede de telecomunicação;
  • distribuição desigual de recursos médicos de qualidade.

Quais são seus impactos?

Podemos, por fim, afirmar que a telemedicina tem o objetivo e o grande potencial de melhorar o atendimento em saúde, de forma geral, ao facilitar os processos e aumentar a resolubilidade dos problemas de saúde dos pacientes.

Ao contrário dos que alguns pensam, a telemedicina não acabará com a medicina tradicional — vai aprimorá-la. Afinal, ela representa mais um avanço na área médica e de saúde.

A telemedicina é o presente e o futuro dos processos na área médica e de saúde. Assim, os profissionais da área devem buscar conhecer essas tecnologias e incorporá-las à sua prática, a fim de melhorar a qualidade do seu atendimento

Gostou do nosso texto sobre telemedicina? Então, aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais, para que outros também possam descobrir sobre as suas vantagens!

ebook-cta-horizontal-01-marketing

Responder

*

Next ArticleSaiba já como reduzir as faltas em consultas agendadas