conciliar vida profissional e pessoal

Aprenda a conciliar vida profissional e pessoal para ter mais sucesso

Aprender a conciliar vida profissional e pessoal é o desejo de muita gente, principalmente em se tratando de especialistas da área da saúde. Afinal, os plantões e as cirurgias de emergência são apenas alguns fatores que atrapalham o convívio social e familiar.

Entretanto, é essencial buscar um equilíbrio para ter qualidade de vida e sucesso na profissão. Lembre-se de que a produtividade está diretamente ligada à felicidade.

Pensando nisso, separamos algumas dicas para você evitar que as vidas profissional e pessoal se misturem negativamente. Confira!

Busque um equilíbrio

Ninguém deve viver só de trabalho ou lazer. Para ter sucesso, é preciso buscar constantemente um equilíbrio entre as duas coisas, que devem sempre avançar juntas.

O primeiro passo para alcançar esse objetivo é aprender a dizer “não”. Chegou uma paciente solicitando um encaixe na agenda? O seu amigo pediu para você o cobri-lo? Se isso for prejudicar os seus compromissos pessoais, não tenha receio de negar os pedidos.

É claro, porém, que existem situações emergenciais das quais não se pode fugir. Cabe a você identificá-las e priorizá-las, se for o caso. De qualquer forma, sempre ajuste os horários de acordo com as suas necessidades. Quando o seu filho te informar sobre uma reunião escolar, por exemplo, já peça para a sua secretária reservar este horário na agenda.

Além disso, estabeleça um limite de trabalho diário e tente não ultrapassá-lo. Ao chegar em casa, busque atividades relaxantes que envolvam você, sua família ou seus amigos.

Saiba dos seus limites

É muito comum ver profissionais que se desgastam e se sobrecarregam em busca de alguns objetivos, como ser promovido ou ganhar mais. Obviamente, ter ambição é importante para subir na carreira. Entretanto, é preciso conhecer os seus limites.

Um profissional com sobrecarga de trabalho tende a ser mais estressado e a dormir mal. Como consequência, ele também se torna improdutivo. Afinal, é comprovado que a qualidade do sono está ligada a fatores importantes, como a capacidade de concentração.

Por isso, é essencial saber até que ponto o seu corpo e o seu organismo aguentam. Se você perceber que o trabalho está prejudicando a sua vida de alguma forma, certamente há algo de errado! Nesse caso, faça modificações em sua rotina, como ir embora uma hora mais cedo.

Reserve um tempo para curtir a família e os amigos

Ter momentos de relaxamento e lazer é essencial para manter a sua cabeça sob controle. Por isso, sempre que possível, reserve um tempo — pode ser o final de semana, por exemplo — para fazer programas diferentes com sua família ou amigos.

Nesse momento, tente encontrar atividades que realmente te relaxem. Afinal, de nada adianta sair para pescar se a atividade te deixar ainda mais estressado e frustrado.

Assim, busque programas que façam a sua mente se desligar. Quando for viável, aproveite o momento para deixar o celular, os e-mails e outras tecnologias de lado.

Além disso, tente desfrutar dos seus momentos livres durante a semana de forma produtiva. Em vez de chegar em casa e ficar navegando pelo Facebook, por exemplo, que tal aproveitar a companhia da família e ir jantar em um restaurante próximo?

Com o tempo, você perceberá como atividades simples como essa tendem a aumentar e muito a sua qualidade de vida. Como consequência, você se tornará uma pessoa mais feliz e com mais disposição para dar o melhor de si no trabalho.

Não coloque o seu trabalho em primeiro lugar

Trabalho é importante? É claro que sim! Afinal, é dele que vem o recurso responsável por nos sustentar e por investir em atividades que melhoram a qualidade de vida.

O problema, porém, é que existem profissionais que colocam o trabalho em primeiro lugar, esquecendo que a saúde física e mental é essencial para subir na carreira.

Por isso, não coloque o seu emprego como prioridade em sua vida. Dê atenção aos sinais que o seu corpo apresenta — cansaço, estresse, falta de sono etc. — e tente modificar a sua rotina até se sentir bem consigo mesmo.

Lembre-se de que a sua saúde vem em primeiro lugar. Por isso, tente praticar mais atividade física (não se esqueça da serotonina, responsável pelo bem-estar) e se alimentar melhor. Paralelamente, dê a devida atenção para a sua família.

Vale ressaltar que todos nós, até mesmo os melhores profissionais, estamos sujeitos a imprevistos — demissões, insucessos, falta de pacientes etc. Nesse contexto, as pessoas que vivem para o trabalho tendem a não saber lidar com essas situações, o que pode gerar crises de ansiedade e depressão. Por isso, priorize a sua vida pessoal!

Não misture vida pessoal dentro do trabalho

Além de tentar conciliar a sua vida profissional e pessoal da melhor forma, também é preciso não deixar que situações desagradáveis dentro do trabalho aconteçam. Por exemplo, não é raro os casos de chefes que não gostam de determinado funcionário porque ele tem convicções — sejam políticas ou pessoais — diferentes das dele.

A consequência disso é um ambiente de trabalho desfavorável às relações profissionais, prejudicando o desempenho da clínica, consultório ou corporação como um todo.

Por isso, não se meta nas escolhas e crenças de quem trabalha com você — a não ser que a pessoa em questão te dê total liberdade para isso. Lembre-se de que ninguém é igual, cada um tem as suas prioridades, convicções e preferências. Nem sempre elas podem te agradar, mas tenha em mente que a postura profissional do indivíduo é o que importa.

Como vocês viram, conciliar trabalho, família, saúde e lazer não é tão difícil assim. Basta um pouco de esforço — sabemos o quanto pode ser difícil dizer “não” — e dedicação. Para ter sucesso, não se esqueça de que a profissão e o lazer não podem se sobrepor. O segredo é encontrar o equilíbrio e fazer dele um objetivo de vida.

E aí, gostou das nossas dicas sobre como conciliar vida profissional e pessoal? Tem algum segredo para ser bem-sucedido em ambas? Então, escreva nos comentários e conte para gente como você alia qualidade de vida e profissão!

Responder

*

Next ArticleO que não pode faltar na gestão da sua clínica?