aumentar a receita da sua clínica

Como a gestão de dados pode aumentar a receita da sua clínica?

A organização é um dos pontos cruciais para o sucesso de qualquer estabelecimento — e não é diferente no setor da saúde. Os gestores e donos de clínicas devem ter noções sobre gestão de negócios, aumentando sua gama de conhecimentos e tendo base para realizar as atividades administrativas que um estabelecimento de saúde exige e, consequentemente, aumentar a receita da sua clínica.

Nesse contexto, podemos citar a gestão de dados como uma das ferramentas mais importantes. Isso porque mesmo os menores consultórios geram, diariamente, centenas de informações sobre os pacientes, as consultas, os resultados de exames, as finanças, os gastos diários e o pagamento dos funcionários.

E todos esses pontos precisam estar organizados. Para ajudar você a entender melhor sobre o assunto, elaboramos este artigo sobre a gestão de dados e como ela pode aumentar a receita de uma clínica. Confira!

O que é a gestão de dados?

Trata-se de uma ferramenta administrativa que tem o objetivo de organizar todos os dados de uma empresa de forma lógica, criando e fornecendo informações que serão úteis para o gerenciamento e as tomadas de decisões no dia a dia do estabelecimento.

Os dados são coletados em estado “bruto” e transformados em conhecimentos úteis para o gestor. O cuidado e a organização desses conteúdos são promovidos por ferramentas, metodologias, profissionais e processos.

A preocupação com a gestão dos dados não é algo novo no ramo da administração, mas sua importância tem crescido no meio da saúde. Isso se deve, em parte, ao aumento da competitividade entre clínicas e consultórios, que exige que gestores busquem formas de aprimorar seus negócios.

A ideia é que todas as informações sejam organizadas, categorizadas e armazenadas. Esse processo inclui o tratamento de:

  • dados dos pacientes — informações cadastrais, prontuário eletrônico, resultados de exames, prescrições;
  • dados financeiros — fluxo de caixa, ganhos e gastos divididos por categoria, contas a pagar;
  • dados dos funcionários — registros da equipe, folhas de pagamento.

Qual a importância dessa prática em clínicas médicas?

A gestão de dados permite que o gestor conheça melhor seu estabelecimento, entendendo o que cada item coletado significa para o negócio. Ela possibilita o acesso e a análise de informações valiosas, como:

  • o custo diário e mensal da clínica;
  • a efetividade dos processos internos;
  • o andamento do fluxo de trabalho;
  • o desempenho de cada equipe e da clínica em geral.

Além disso, é possível obter uma base para prever ações e processos cotidianos. Todo esse processo gera também melhorias no atendimento ao paciente, já que uma clínica organizada tem mais condições de focar nas questões voltadas diretamente à assistência.

Vale destacar, ainda, que os dados dos próprios pacientes são geridos. Isso permite o domínio das principais características da população que é atendida na clínica.

Quais são seus benefícios?

A implementação de uma boa gestão de dados traz, certamente, vantagem competitiva para a clínica. Entre os diversos benefícios que tal prática oferece aos estabelecimentos de saúde, há os seguintes:

  • visão completa de todos os processos internos que acontecem no consultório, o que é essencial para a otimização dos procedimentos administrativos;
  • melhoria da confiabilidade e da qualidade dos dados gerados — que passam a ser concisos, claros e precisos;
  • avaliação mais detalhada do desempenho da clínica e de cada profissional de saúde;
  • redução das falhas e dos riscos associados a informações errôneas ou desorganizadas;
  • maior segurança no armazenamento dos dados;
  • redução de custos (financeiros e de tempo), relacionada à diminuição do retrabalho;
  • criação e estabelecimento de uma cultura do uso de indicadores de processos e qualidade dos dados;
  • identificação mais direcionada das reais necessidades da clínica, baseada nas questões geradas;
  • redução ou eliminação de pontos duplicados e redundantes;
  • aumento da produtividade da equipe, relacionado à facilidade e à praticidade do acesso às informações.

Como fazer uma gestão de dados eficiente?

Para que todos os benefícios da gestão de dados possam ser desfrutados pela clínica e por seus funcionários, é preciso que ela seja feita de forma eficiente. Por isso, preparamos algumas dicas para garantir um processo eficaz. Acompanhe!

Defina as informações que serão armazenadas

Um dos primeiros passos é definir quais informações serão armazenadas durante a gestão de dados. É preciso estabelecê-las com clareza, por meio de listas ou formulários, de forma que nenhuma questão importante seja esquecida.

Pode-se decidir, por exemplo, que os dados cadastrais dos pacientes devem conter informações referentes a:

  • nome;
  • idade;
  • gênero;
  • telefone;
  • endereço;
  • como teve conhecimento sobre a clínica;
  • antecedentes clínicos;
  • diagnósticos anteriores, entre outros.

Essa listagem deve ser feita para todos os tipos de informações que serão armazenadas.

Mantenha os dados atualizados

Não basta incluir os dados uma vez: é preciso mantê-los sempre atualizados. Isso evita confusões e erros nas tomadas de decisões cotidianas da clínica. Algo simples, como a troca de telefone de um paciente, pode comprometer a continuidade de seu atendimento no consultório.

Além de incluir itens que foram alterados, é necessário fazer uma avaliação periódica. Assim, é possível garantir que as informações armazenadas estejam de acordo com a realidade.

Escolha a ferramenta adequada

A enorme quantidade de dados que é gerada exige um sistema específico para sua gestão, pois não é possível realizar tal atividade de forma manual. A melhor alternativa é utilizar um software de gestão médica, que é criado especificamente para os estabelecimentos de saúde.

Deve-se buscar um sistema moderno e atualizado, que atenda às necessidades específicas do consultório. Vale optar por algum que seja de fácil manuseio e conte com uma equipe de apoio especializada.

Busque integrar os setores

A comunicação entre os setores é um ponto-chave para manter a organização da clínica. Isso significa que todas as informações devem ser integradas.

Para um completo entendimento das finanças do estabelecimento, por exemplo, é preciso que haja uma integração entre o lucro bruto mensal e o número de consultas que foram realizadas no mesmo período.

Como você pôde ver, a gestão de dados ajuda a aumentar a receita da clínica, pois permite visualizar todos os seus processos. Assim, as falhas que estão atrapalhando seus ganhos são identificadas e corrigidas.

Se você tem interesse em fazer a gestão de dados de sua clínica de forma eficiente, entre em contato conosco e conheça nosso software médico!

Responder

*

Next ArticleGestão de clínica: saiba como separar as finanças pessoais da empresa