sistema médico

Descubra 6 vantagens de utilizar um sistema médico

O uso de um sistema médico está se tornando cada vez mais comum em consultórios, clínicas e hospitais — e não sem motivo. Elaborado especificamente para a gestão desse tipo de estabelecimento, ele conta com ferramentas próprias para o gerenciamento financeiro, administrativo e de pacientes. Seu objetivo principal é facilitar o trabalho do nosso dia a dia.

Alguns profissionais, principalmente aqueles resistentes a mudanças, ainda não se sentem convencidos a adquirir esse tipo de software para a sua clínica. Isso acontece, normalmente, porque eles não conhecem as diversas vantagens que um sistema médico pode trazer para a sua prática.

Pensando nisso, trouxemos neste artigo as principais dessas vantagens! Interessado? Então, continue lendo e confira.

1. Otimização e agilidade das atividades da clínica

A consulta em saúde é apenas uma das atividades realizadas no dia a dia de uma clínica. Geralmente, centenas de horas de trabalho são gastas com:

  • registro de informações de pacientes;
  • registros financeiros;
  • organização da agenda;
  • organização de documentos;
  • procura de prontuário de pacientes etc.

Isso é ainda mais significativo se pensarmos em um hospital, que tem um fluxo bem maior de atendimento. Mas boa parte desse tempo é gasta com atividades administrativas que poderiam ser automatizadas com o uso de um software. Na verdade, ele pode fazer a maioria desse trabalho, devido às suas ferramentas integradas de gestão de finanças, pessoal, pacientes e administrativas.

Ter um sistema médico, nesse sentido, significa mais otimização e agilidade em todas as atividades da clínica, pois como ele o profissional de saúde consegue focar mais no cuidado direto dos pacientes.

2. Melhoria do controle financeiro

Um bom controle financeiro é o que permite ao gestor saber como anda o negócio, qual tipo de serviço lhe traz mais renda, quando é necessário cortar gastos, e diversas outras informações cruciais para o sucesso da clínica. Infelizmente, contudo, ter um controle financeiro ruim é um dos problemas mais comuns que os profissionais de saúde enfrentam em seus consultórios e hospitais.

Isso acontece, principalmente, porque a gestão de finanças não é um assunto contemplado durante a graduação em saúde, e os profissionais acabam perdendo muito tempo tentando entender como cada processo deve ser feito.

Ter um sistema médico, portanto, com área destinada para gestão financeira elimina essa necessidade de realizar diversas planilhas separadas, já que tudo pode ser unificado. Desse modo, é possível registrar e controlar:

  • pagamentos realizados pelos pacientes (consultas, procedimentos);
  • gastos com produtos comprados para a clínica;
  • gastos com o estabelecimento (aluguel, contas);
  • gastos com funcionários;
  • outros recebimentos da clínica.

3. Segurança das informações armazenadas

Sem dúvida, a segurança dos dados de uma empresa é fundamental para qualquer atividade profissional. Mas essa importância é ainda maior quando se trata do cuidado médico, devido à necessidade de sigilo do profissional de saúde em relação aos dados do paciente. É por isso que, quando o sistema médico contratado fica na nuvem, o prontuário eletrônico e todos os dados dos pacientes são armazenados on-line.

É fácil ver como um software oferece bem mais segurança do que o armazenamento físico de prontuários de papel e outros documentos do paciente. Até porque, ao utilizar um sistema desses, você evita que uma pessoa não autorizada tenha acesso aos dados, ou que eles sejam perdidos ou danificados de alguma forma.

O ideal, para garantir isso, é que sejam realizados backups diários, de forma que as informações não se percam mesmo que haja algum problema no computador que está sendo usado.

4. Gráficos e estatísticas disponíveis

Como citamos, um sistema médico pode oferecer dados completos sobre a gestão financeira da clínica, com relatórios precisos e monitoramento contínuo. Essas, porém, não são as únicas informações valiosas que um software tem a oferecer para os gestores dos estabelecimentos de saúde.

A ideia é que tudo que aconteça na clínica fique registrado de alguma forma no sistema. Essas informações podem ser agrupadas e transformadas em estatísticas e gráficos, que ajudam a compreender o trabalho realizado na clínica e as ações necessárias para o futuro. Alguns exemplos de dados importantes que podem ser obtidos:

  • número de consultas e procedimentos em cada mês;
  • procedimentos que são mais realizados;
  • diferença no fluxo de pacientes após a implementação de alguma mudança;
  • tipos de pacientes mais atendidos na clínica etc.

Não é possível melhorar e crescer se o gestor da clínica não sabe com detalhes como é o seu cenário atual. Por isso, o melhor caminho é buscar o máximo de informações possíveis, que serão a base para decisões futuras.

5. Organização da agenda da clínica

Isso pode parecer exagero, mas uma agenda desorganizada é capaz de atrapalhar todo o trabalho realizado em uma clínica ou hospital. Não ter um bom controle dos horários das consultas contribui, dentre outras coisas, para:

  • o atraso e a falta de pacientes;
  • o agendamento de mais de um paciente para o mesmo horário;
  • intervalos longos entre as consultas;
  • consultas que se atrasam.

Tudo isso, contudo, pode ser resolvido com o uso da agenda eletrônica que vem com o próprio sistema médico. O agendamento e cancelamento de consultas é feito dentro do software, com organização clara por datas e horários. Além disso, alguns softwares ainda oferecem um sistema automático de envio de SMS para os pacientes, como lembrete da consulta.

6. Diferencial competitivo

O setor da saúde está se tornando cada vez mais competitivo. Existem hoje muitos profissionais e clínicas para todas as especialidades, o que faz com que os estabelecimentos precisem buscar diferenciais para se destacar — e um deles pode ser o uso de uma tecnologia como o sistema médico.

Pense bem: o paciente da atualidade preferiria ir a uma clínica na qual sempre tem a sua consulta atrasada ou a uma cuja agenda é organizada? Uma clínica que não conhece as próprias estatísticas ou uma que acompanha o próprio trabalho de perto? Um consultório obsoleto ou um que investe em novas tecnologias?

Ter uma clínica mais organizada, eficiente e agilizada é, sem dúvida, o melhor diferencial para qualquer estabelecimento de saúde. Justamente por isso, adquirir um sistema médico é o caminho certo para o aumento da qualidade do atendimento oferecido e a satisfação do paciente.

Então, se você gostou do nosso post e ficou interessado no assunto, entre em contato conosco! Você pode conhecer o nosso sistema médico e realizar um teste grátis.

Responder

*

Next ArticleAprenda como montar uma clínica médica impecável!